quarta-feira, 1 de fevereiro de 2023

FALECEU O ZÉ HENRIQUES

Foi com profundo pesar que tivemos conhecimento do falecimento do nosso camarada e amigo JOSÉ FERNANDO CAETANO HENRIQUES, vitima de um ataque cardíaco. O ZÉ HENRIQUES, como era conhecido por todos nós, era Operador Cripto. Pessoa bem conhecida, e que  pela sua maneira de ser, era considerado por todos nós como um bom camarada e amigo. Falar dele não é fácil, pois de tudo tinha um pouco: alegre, bem disposto, às vezes nem tanto, mas sempre numa "boa". Era bem falante e um exímio jogador de bola. Na vertente desportiva dava um jeito em todas as modalidades; jogou voleibol,, basquetebol, andebol, mas no futebol, quer de salão ou de onze, era onde dava mais nas vistas. Fez parte de todas as "seleções" da nossa Companhia, chegando a fazer parte de equipas civis da cidade de Saurimo e até da cidade do Luso.

Era natural da cidade de de Lisboa onde residia até esta data. Esteve presente em muitos nos nossos Almoços-Convívio, que temos vindo a realizar. Nos últimos anos andava todo "babado" pelo novo elemento da família, a sua  querida netinha.

À sua esposa, filhos e restante família, bem como a todos os seus amigos, apresentamos as nossas sinceras condolências.

Militar - Civil
Equipa de Voleibol (3º a contar da direita)

Recebendo um troféu

Equipa das Transmissões (2º. em pé)

Equipa mista, civil (JAEA), militar (De pé no meio)

Equipa de Andebol (Em baixo no meio)






domingo, 29 de janeiro de 2023


O aparelho da foto, é um monomotor, não militar, mas sim civil, talvez pertencendo à Aerangol, no entanto, fazia serviços para o Exército ao proceder a  reabastecimentos, de frescos, no caso às nossas Companhias e seus destacamentos, que se encontravam em zonas mais isoladas e operacionais. Das suas características nada consegui obter, mesmo com a colaboração de elementos da Força Aérea. O seu estacionamento é na Base Aérea (AB4).

(Foto enviada por Vitor Amaral Ex.Alf.)

DIA MUNDIAL DOS LEPROSOS

Hoje, dia 29 de Janeiro, comemora-se o dia em título e a estação de televisão TVI, homenageou o mesmo através da sua missa dominical. Foi celebrada na vila da Tocha, concelho de Cantanhede, no Centro de Reabilitação Rovisco Pais. Tal celebração, além da sua finalidade, teve a particularidade de ser rezada por D. Joaquim Ferreira Lopes, que foi o primeiro Bispo da Lunda, (Arquidiocese de Saurimo), Diocese do Dundo.

D. Joaquim Ferreira Lopes

(Inf. de Vitor Amaral (Ex.Alf.)

  

quarta-feira, 18 de janeiro de 2023

AVIÃO FOKKER 27 FRIENDSHIP 

Duranta a nossa estadia em terras de Saurimo habituamo-nos a ver sobrevoar a cidade o avião da foto. Era um avião comercial, operado pela DTA - Direção dos Transportes Aéreos, do modelo CR LEP, que fazia a ligação entre Luanda e Portugália. No seu trajeto escalava em Malange e em Henrique de Carvalho. O tempo total do voo, incluindo as paragens, era de cerca de quatro horas. Fazia viagens quatro vezes por semana, conforme o mapa apresentado a seguir. A sua chegada era, por todos nós, aguardada com muito interesse, pois normalmente trazia o "Correio" e encomendas que tanto aguardávamos



.

sábado, 14 de janeiro de 2023

DUARTE

O Duarte não pertencia à nossa Companhia, nem tão pouco ao nosso Batalhão. Pertencia, sim, ao Batalhão de Caçadores 2843, que fomos render. Por ter sido uma rendição individual, chegando mais tarde à sua Companhia, logo não pode regressar juntamente com os seus camaradas quando os mesmo completaram a sua comissão. Perante este facto, em devido tempo, por já estar habituado ao meio, pediu para continuar em Henrique de Carvalho e a fazer parte da nossa Companhia. O pedido foi aceite e ele por lá continuou. Prestou serviços na Messe de Sargentos até acabar a comissão. Esta situação motivou ter ganho forte ligação ao nosso pessoal, considerando-se ser mais um dos nossos. Isso é bem patente, pois é um dos habituais dos nossos almoços-convívio, sendo sempre um dos animadores dos mesmos; toca gaita-de-foles e acordeão, e em conjunto com os vários instrumentos tocados por outros faz com que apareçam os cantores, cantoras e dançarinos. É sempre de realçar o bom ambiente que ajuda a criar.  







UM DIA DE SERVIÇO

Estar de serviço era sempre uma "maçada". Não pelo serviço que se tinha de prestar, mas sim pelo espaço de tempo que o mesmo durava: vinte e quatro horas. Nas fotos pode-se ver um desses serviços, Oficial de Dia, que foi da responsabilidade do Alferes Amaral. Para o ajudar a passar o tempo, suponho que o motivo era mesmo esse, teve a companhia de vários camaradas que com a sua boa disposição fizeram com que o mesmo não fosse tão monótono.

Fernando Rocha - Alferes Amaral - Duarte Bat. 2843 e Morais

Excluindo o Alf. Amaral não consigo identificar ninguém. Pede-se ajuda.....


quarta-feira, 11 de janeiro de 2023

MOMENTOS DE BOA DISPOSIÇÃO

Na "nossa guerra" também os havia. As fotos são disso uma demonstração. Estando de serviço, o Alferes Amaral, recebeu visitas e além da música, pois estão à vista violas, uma delas foi a de um "mascarado". De quê? não é muito elucidativo o seu traje. Trata-se do Sargento Cunha. Todos nós nos lembramos, de certeza, muito bem deste nosso camarada de comissão. Pessoa bem disposta e amigo de todos, respeitando e respeitado por todos aqueles que com ele colaboravam.



(Fotos enviadas por Vitor Amaral Ex. Alferes)